Chá de Hibisco, posso tomar?  – Por Ana Flávia Cunha

Chá de Hibisco, posso tomar? – Por Ana Flávia Cunha

Muita gente anda tomando esta bebida, mas será que ela realmente ajuda na perda de peso e gordura?
Uma resposta rápida é sim, principalmente quem deseja perder barriga e reduzir os quadris, pois este chá emagrece e promove saúde.

De origem africana e asiática, a flor de hibisco utilizada para o preparo do chá possui o nome científico de Hibiscus Sabdariffa. Essa flor é diferente do conhecido hibisco de jardim, cujo nome científico é Hibiscus rosa-sinensis O hibisco é normalmente usado nos chás através do cálice da flor.

Os nutrientes presentes no chá de hibisco são inúmeros. O cálcio e o magnésio são exemplos deles, mas a bebida é caracterizada principalmente por sua ação antioxidante. Em 6g da planta, quantidade usada para o preparo de 200 ml de chá, tem além do cálcio e magnésio, fósforo e potássio, essenciais para a saúde dos ossos, a contração muscular e para a produção de energia.

Um dos benefícios mais estudado do chá de hibisco é a perda de peso, ele é capaz de inibir a adipogênese. Isto faz com as células pre-adipócitas não amadureçam. Sendo assim elas não se transformam em células que acumulam gordura. Neste caso menos gordura fica armazenada na barriga e quadris. O conhecimento milenar a respeito dessa bebida já falava sobre isso, mas também foi descoberta a eficiência do chá no tratamento da obesidade, na eliminação da gordura do abdômen e principalmente na prevenção do “fígado gorduroso”. Todos esses efeitos têm sido atribuídos aos polifenóis, que são moléculas antioxidantes presentes no hibisco. As propriedades antioxidantes previnem o organismo de alguns outros problemas, como pressão alta, diabetes, problemas no fígado e nos rins e síndromes metabólicas de um modo geral.

No entanto, apesar dos benefícios apresentados, a intoxicação por chá de hibisco é uma conseqüência de seu consumo excessivo, o que requer cautela por parte de quem ingere a bebida. Além disso, por este chá ser diurético, seu consumo exagerado pode fazer com que a pessoa elimine muitos eletrólitos, a exemplo do sódio e do potássio, que estão presentes no sangue. Isso pode acarretar alterações de pressão e contração muscular. Sendo assim, se a pessoa já toma medicamento com essa finalidade, o efeito diurético do remédio pode ser potencializado, o que não é desejável.

A orientação é consumir de uma a duas xícaras de 200 ml de chá de hibisco por dia. Para cada xícara deve ser utilizado de 4 a 6 gramas da flor seca, equivalente a uma colher de chá, ou dois a três pacotinhos de chá (cada sachê contém 1,5 gramas da flor).

Estudos, ainda não comprovados, sugerem que o hibisco tem componentes que interferem nos níveis de estrogênio e os alteram, fazendo com que esta planta seja usada, inclusive, como anticoncepcional. Para as mulheres que sofrem com a TPM e outras condições do sistema endócrino, o chá de hibisco pode causar piora e até dificuldade para engravidar, ao interferir no processo de ovulação. Por este motivo, também deve ser evitado por mulheres no período de gravidez e durante a amamentação.

Devemos pensar que mesmo produtos naturais têm as dosagens certas e as recomendações necessárias para cada indivíduo, por isso antes de tomar qualquer medicamento, fitoterápico, chá ou suplemento, procure seu médico e/ou nutricionista para fazer uma avaliação.

Saúde Sempre!!

Por: Ana Flávia Cunha – Nutricionista – CRN 4196 – Contato: (64) 9 9294 – 8327

Gostou? Então compartilhe 🙂Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrPin on PinterestShare on Google+Share on StumbleUponEmail this to someone

Autor

admin
Thaylline foi modelo, foi colaborado de um blog de moda com postagens semanais, liderou lojas no varejo de moda em artigos de roupas e sapatos, é colunista de moda da revista RV e apresentadora do programe-te "Thay Na Moda" da TV Sucesso afiliada TV Record.