Será que o brinquedo e brincadeira têm sexo? – Por Patrícia Helena Borges Nery

Será que o brinquedo e brincadeira têm sexo? – Por Patrícia Helena Borges Nery

Quando a gente entra numa loja de brinquedo ela é dividida por setores que fica nítido a separação dos brinquedos das meninas e dos brinquedos dos meninos. Essa divisão é feita pelo social, mas emocionalmente não deveria ser assim, isto limita a criatividade e a formação de seres humanos mais completos e mais tolerantes.

A infância deveria ser uma fase de descoberta e identificações, repletas de experiências variadas.   A sociedade lida com a sexualidade de maneira hipócrita, sendo assim necessita de definições preconcebidas do que é ser menino ou menina. Carrinho é pra menino, boneca para menina, futebol para menino, brincar de princesa para menina. Azul é para o menino, rosa para a menina e assim vai, a lista é grande.

A formação da personalidade de uma criança se da pelas diversas identificações com seus primeiros objetos de amor mamãe e papai, ou quem exerce essas funções emocionalmente, ou seja, a identificação consiste na assimilação de uma propriedade ou de um atributo de outra pessoa, e não com o brinquedo.   Meninos e meninas deveriam brincar com o que quisessem sem esse olhar preconceituoso do que pode ou não de acordo com o seu sexo.

Por: Patrícia Helena Borges Nery  – psicologa, psicanalista e consultora – CRP 09/004669

Caso você precise ou queira indicar a psicanálise a alguém, A Dr.ª Patrícia atende na Rua: I Qd 15 Lt18 s/nº Parque Buritis II , Rio Verde GO –  Fones: (64) 9675 2054/9263 0118/8107 8690.

Gostou? Então compartilhe 🙂Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on TumblrPin on PinterestShare on Google+Share on StumbleUponEmail this to someone

Autor

admin
Thaylline foi modelo, foi colaborado de um blog de moda com postagens semanais, liderou lojas no varejo de moda em artigos de roupas e sapatos, é colunista de moda da revista RV e apresentadora do programe-te "Thay Na Moda" da TV Sucesso afiliada TV Record.